Conferências digitais sobre o Relatório Museus no Futuro

Publicado por em Fev 18, 2021 em Destaques, Notícias

Conferências digitais sobre o Relatório Museus no Futuro

Estão concluídas as conferências digitais que nos propusemos realizar, e que decorreram à quarta-feira, nos dias 13, 20 e 27 de janeiro e 3 e 10 de fevereiro de 2021. Durante 5 semanas seguimos os 5 eixos em que foi estruturado o Relatório apresentado pelo Grupo de Projeto Museus no Futuro: Redes e Parcerias, Transformação Digital, Gestão de Coleções, Públicos e Mediação e Gestão de Museus, Palácios e Monumentos.


Oportunamente saudámos a criação do Grupo de Trabalho, o qual teve como missão «Identificar, conceber e propor medidas que contribuam para a sustentabilidade, a acessibilidade, a inovação e a relevância dos Museus, Palácios e Monumentos na dependência da Direção-Geral do Património Cultural e das Direções Regionais de Cultura». Com a apresentação pública, em novembro de 2020, do Relatório Final, esta etapa ficou concluída com mérito e aplauso geral.

As conferências promovidas pelo ICOM Portugal visaram aumentar a visibilidade e discussão pública do referido Relatório, sendo que o sucesso obtido se mede quer nas centenas de participantes que a elas assistiram on-line (Zoom e Facebook), quer na fidelização dos ouvintes ao longo das sessões, quer nas inúmeras questões levantadas.

O interesse manifestado confirma que o tema não é de valia exclusiva para as instituições museológicas do Ministério da Cultura, mas é transversal a todos os que trabalham ou têm interesse nos museus. Os eixos definidos coincidem com as preocupações expressas pelos numerosos atores, e as medidas propostas no referido Relatório encontram eco no tecido museológico nacional, confirmando a urgência de tomar decisões e implementá-las. É desnecessário elencar as preocupações expressas, dado que os vídeos estão disponíveis e, sobretudo, ilustram a justeza do retrato realizado pelo Relatório e o acerto, relevância e urgência na implementação das medidas propostas.

O ICOM, enquanto associação representativa dos museus e seus profissionais, afirma, com veemência, a urgência de concretizar o plano traçado, propondo que seja tornada pública a calendarização da execução das medidas assinaladas no Relatório, ciente, no entanto, da existência de medidas que poderão ser rapidamente implementadas e outras que apenas serão exequíveis num prazo mais dilatado. De qualquer modo, a calendarização das mesmas parece ser um modo prático de demonstrar o acolhimento que o Relatório terá tido por parte da tutela da Cultura. O ICOM propõe também que a SMUCRI do Conselho Nacional de Cultural (Seção dos Museus, da Conservação e Restauro e do Património Imaterial) seja constituída como entidade passível de acompanhar a implementação das medidas propostas no Relatório.


Os Museus, Palácios e Monumentos Nacionais são um conjunto de instituições museológicas de referência, pela importância nacional dos seus espaços e coleções e pelo que deveriam representar de repositório das melhores práticas. A implementação das medidas indicadas no Relatório deve acabar, com a urgência que a situação impõe, com o desinvestimento e prolongado esvaziar de recursos humanos, técnicos e financeiros até agora vigente nos Museus, Palácios e Monumentos, procurando-se deste modo travar a situação de penúria em que atualmente vivem.


Seja 2021, um ano de esperança e de mudança para os Museus, possibilitando-lhes cumprir o que a lei e o bom senso exige – serem um local de Memória, conservação e partilha dos bens museológicos que a todos nós pertencem.

Direção da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM
Lisboa, 14 de Fevereiro de 2021

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.