Notícias

Conferências Digitais sobre as recomendações para os Museus no Futuro – 2021

Publicado por em Dez 7, 2020 em Destaques, Notícias | 1 comentário

Conferências Digitais sobre as recomendações para os Museus no Futuro –  2021

O Grupo de Projeto Museus no Futuro (GPMF), criado pela Resolução de Conselho de Ministros nº 35/2019, de 18/02, e nomeado por Despacho da Ministra da Cultura, de 3/05/2019, desenvolveu, ao longo de um ano, um trabalho de análise, diagnóstico e elaboração de propostas para os museus e monumentos nacionais no futuro que resultou num relatório final, tornado público em novembro de 2020.

Este trabalho com incidência nos Museus, Palácios e Monumentos dependentes da Direção-Geral do Património Cultural e das Direções Regionais de Cultura, visa a apresentação de recomendações e de propostas para estas entidades museológicas e patrimoniais, a curto prazo, mas também tendo o horizonte temporal dos próximos 10 anos.

As recomendações foram agregadas em cinco eixos temáticos seminais que interessam, todavia, à gestão e práticas de todo o tecido museológico nacional: Gestão de Museus, Redes e Parcerias, Transformação Digital, Gestão de Coleções, Públicos e Mediação.

A Comissão Nacional do ICOM, que acompanhou de perto os trabalhos do GPMF, promove, on-line (ZOOM) nos próximos meses de janeiro e fevereiro de 2021, 5 sessões de debate em torno dos 5 eixos temáticos identificados pelo GPMF. Cada sessão terá como convidado um dos membros do GPMF, um orador convidado especialista na matéria, e um moderador, abrindo-se a discussão a todos os participantes inscritos.

13 JAN 2021 – 18h00 – REDES E PARCERIAS

Clara Camacho │ Mariana Jacob │Dália Paulo

20 JAN 2021 – 18h00 – TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Ana Carvalho │ Helena Barranha │ Alexandre Matos

27 JAN 2021 – 18h00 – GESTÃO DE COLEÇÕES

Inês Ferro │ Marta Lourenço │ Isabel Fernandes

3 FEV 2021 – 18h00 – PÚBLICOS E MEDIAÇÃO

Sara Barriga │ Inês Câmara │ David Felismino

10 FEV 2021 – 18h00 – GESTÃO DE MUSEUS, PALÁCIOS E MONUMENTOS

José Varejão │ Manuel Bairrão Oleiro │ Maria de Jesus Monge

Inscrições encerradas

As Conferências terão difusão em direto no Facebook do ICOM Portugal e serão, posteriormente, disponibilizadas no YouTube

Foto: MUHNAC – project by P06 studio © João Morgado

ICOM Portugal discute presente e futuro dos museus com Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural

Publicado por em Dez 4, 2020 em Destaques, Notícias | 0 comentários

ICOM Portugal discute presente e futuro dos museus com Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural

O ICOM Portugal reuniu online a 26 de outubro último, com a Senhora Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Arq. Ângela Ferreira, na sequência de pedidos para ser ouvido pela Ministra da Cultura.

A Presidente da Direção, Maria de Jesus Monge, saudou o avanço dos concursos para direção de museus nacionais, bem como a conclusão do Relatório do Grupo de Projeto Museus no Futuro (GPMF), que produz reflexão e importantes recomendações para permitir aos museus e seus profissionais fazer face aos desafios crescentes que se vêm colocando. Perguntou ainda como seriam implementadas as propostas apresentadas pelo referido GPMF. Interpelou a Senhora Secretária de Estado sobre a Rede Portuguesa de Museus (RPM) e o imprescindível investimento a vários níveis para que volte a desempenhar o papel assinalável dos tempos da sua criação. Foi ainda perguntado o que estava previsto para o Programa ProMuseus, que não foi lançado em 2020.

Referindo a recente entrevista do Diretor Geral do Património Cultural a um jornal diário, o ICOM registou a consciência da situação grave dos quadros de pessoal, designadamente a falta de renovação geracional que ameaça fazer perder a imprescindível passagem de conhecimentos, bem como a incapacidade de fazer face às mais elementares obrigações, como é a abertura ao público. Foi sugerida a fórmula utilizada em outros ministérios para capacitação e seleção dos mais aptos, conferindo a todos formação específica prática, só possível de obter em contexto profissional – como está previsto na Lei-Quadro dos Museus. Salientou que a preocupação do ICOM Portugal com a atual situação dos museus nacionais, para além de realçar a difícil situação em que muitos estão, tem o peso acrescido do exemplo negativo que a falta de investimento na área dos recursos humanos passa para outras tutelas, designadamente autárquicas e privadas.

Foi ainda manifestada a grande preocupação com a anunciada passagem das Direções Regionais de Cultura (DRC) para as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), sem que até ao momento se saiba em que moldes essa transição será feita e qual a situação em que ficarão os museus que atualmente integram as DRC. Isabel Maria Fernandes e Maria José Santos do ICOM Portugal reforçaram as preocupações com a passagem das DRC para as CCDR. Se os museus das DRC passarem a integrar as CCDR, os museus nacionais concentrar-se-ão na faixa litoral Porto-Lisboa, ficando de fora o interior, sendo que a sul do Tejo apenas um museu tem atualmente o estatuto de nacional. Se este for o caminho, a decisão consumará a desestruturação do tecido museológico nacional.

A Senhora Secretária de Estado Adjunta Arq. Ângela Ferreira confirmou que os concursos para diretores deverão estar concluídos em março de 2021. Está já em curso junto dos museus nacionais e regionais a recolha de informação e propostas para a calendarização das recomendações apresentadas no Relatório do GPMF. É assim intenção do Ministério da Cultura reativar a RPM, de modo a que contribua para a implementação das medidas referidas no dito Relatório. O ProMuseus 2019 sofreu algum atraso devido à crise sanitária, mas está já em fase final de execução. Está previsto lançamento de novo concurso para projetos no âmbito desta linha de apoio em 2021.

A Senhora Secretária de Estado Adjunta demonstrou também ser sensível à situação extrema que vivem os museus, que afirma ser também comum a toda a estrutura da DGPC. Informou estarem a ser desenvolvidos esforços junto dos Ministérios da Educação e do Ensino Superior para permitir reforço de pessoal técnico, nomeadamente com transferência de professores e bolsas para estudantes/investigadores, com a possibilidade de virem a integrar os quadros das instituições museológicas. Está também prevista a abertura de concursos para admissão de vigilantes.

No que respeita à passagem das DRC para as CCDR a Secretária de Estado confirmou não haver ainda indicações concretas sobre datas e procedimentos, mas manifestou a intenção de realizar uma auscultação prévia ao processo de implementação das várias entidades e associações ligadas à museologia e ao património cultural, nomeadamente o ICOM Portugal, o que se saúda.

Finalmente, em resposta à pergunta sobre o que está previsto de investimento com os Fundos Europeus anunciados para fazer face à situação de crise decorrente da pandemia, a Senhora Secretária de Estado Adjunta Arq. Ângela Ferreira informou que a Cultura em geral e os museus em particular beneficiarão de duas linhas de apoio, na modernização digital e na conservação de património edificado.

O último ponto abordado foi a intenção do ICOM Portugal em promover um melhor conhecimento das coleções de origem não europeia existentes nos museus portugueses. David Felismino do ICOM Portugal explicou a situação e a opção por esta estratégia, já que para poder ser abordado em Portugal o debate internacional sobre coleções obtidas em contexto colonial é necessário conhecer o que efetivamente existe. Na esteira de muito trabalho já desenvolvido por sociedades científicas e museus universitários nacionais sobre as suas coleções de origem não europeia, o ICOM Portugal irá assim realizar um inquérito nacional e pediu o apoio do MC, através da RPM.

4 de dezembro 2020

DOMINO (DocumentandO Museu IberoamericaNO)

Publicado por em Nov 29, 2020 em Destaques, Notícias | 0 comentários

DOMINO (DocumentandO Museu IberoamericaNO)

O Comité Internacional para a Documentação do ICOM (CIDOC) constituiu um novo grupo de trabalho, DOMINO (DocumentandO Museu IberoamericaNO) com o objetivo de disseminar o trabalho do CIDOC pelos países e comunidades de línguas portuguesa e espanhola e, de forma mais abrangente, chegar a outros membros com um contexto cultural comum, servindo de ponte linguística para a partilha de conhecimento especializado com a comunidade internacional de profissionais de museus e documentação.

DOMINO tem como plano desenvolver uma rede de especialistas e de boas práticas na área de documentação em museus através da identificação, desenvolvimento e/ou atualização de normas relevantes nas línguas acima referidas, procurando assim uma harmonização no desenvolvimento da documentação de coleções na comunidade ibero-americana. Procurará ser também um elemento de disseminação da especialização nesta área criando uma agenda comum de questões a ser abordada ativamente pelas instituições nesta comunidade.

Alguns dos tópicos que guiarão as prioridades do grupo nos próximos anos serão:

  • Documentação de histórias e costumes tradicionais;
  • Documentação de itens digitais (born digital assets);
  • Documentação de coleções em pequenos museus rurais;
  • Políticas para apoiar a documentação de coleções;
  • Inventários nacionais e portais digitais;
  • Web semântica, Linked Data, dados abertos e iniciativas de dados abertos;
  • Experiências compartilhadas no uso de software livre para documentação de coleções e objetos.

O grupo terá na próxima conferência do CIDOC, a realizar online entre 7 e 10 de Dezembro próximo, o seu primeiro conjunto de atividades com um workshop, um painel de discussão e uma sessão do grupo de trabalho nas quais os interessados poderão participar de forma gratuita, sendo apenas necessário fazer o registo.

No dia 9, no painel dos Comités Nacionais, entre as 17h30 e 19h30 (hora de Lisboa, o ICOM Portugal, no âmbito da colaboração com este projeto e da conferência anual, fará a apresentação geral da situação da documentação em museus em Portugal.

UM NOVO OLHAR SOBRE AS COLEÇÕES. Documentar e Conservar – Programa

Publicado por em Set 19, 2020 em Destaques, Eventos, Notícias | 0 comentários

UM NOVO OLHAR SOBRE AS COLEÇÕES. Documentar e Conservar  – Programa

1 DE OUTUBRO [Casa de Camilo – Centro de Estudos, Seide, Vila Nova de Famalicão]

9h15    –     Receção dos participantes

9h30    –      Sessão de abertura

Maria de Jesus Monge, Presidente do ICOM Portugal

Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão (a confirmar)

José Manuel Oliveira, Diretor da Casa de Camilo

10h00    –    PAINEL 1 : Conservação Preventiva: Utilização de azoto em museus/ conservação?   │ Moderador: Luís Soares

Lília Esteves, Instituto José de Figueiredo/DGPC, Biocidas na Conservação de Património Cultural

10h30    –    Pausa para café 

11h00    –   PAINEL 2 : Um novo olhar sobre as coleções – Reservas

Rita Dargent, Museu Nacional dos Coches – “E porque nem tudo são Coches…” A reorganização das reservas museológicas do Museu Nacional dos Coches

Joana Amaral, Parques de Sintra – Monte da Lua, S.A., Reservas na PSML. Modos de fazer no Palácio Nacional de Queluz

Rita Gaspar, Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, E quando as reservas também são históricas? O processo de reabilitação das reservas de arqueologia e etnografia do MHNC-UP

 13h00  –    Almoço livre

15h00CONFERÊNCIA

José Manuel de Oliveira e Célia Machado, Casa de Camilo – Museu . Centro de Estudos, Quando Camillo é a Coleção.

15h45    –    Pausa para café 

16h00   – VISITA 1: Casa de Camilo

17h30    –  Sessão de encerramento do dia

21h30  –   VISITA 2: Casa do Território – Parque da Devesa

2 DE OUTUBRO [Casa de Camilo – Centro de Estudos, Seide, Vila Nova de Famalicão]

09h30     PAINEL 3 :  Um novo olhar sobre as colecções:  História custodial │ Moderador: Gonçalo Carvalho Amaro

Sandra Saldanha, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra / CEAACP – UC, A herança do património eclesial nos museus portugueses: mecanismos de incorporação, investigação evocação das colecções

Inês Gomes, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra – CEIS20, Liceus e Colecções: Percurso(s) e história(s)      

10h30  –   Pausa para café

10h45    PAINEL 3 (continuação) :  Um novo olhar sobre as colecções:  História custodial  

Ana Cristina Martins, IHC, Universidade de Évora, Colecções arqueológicas: percursos e recursos

António Pinto Ribeiro, Instituto de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra), O mais urgente dos imperativos civilizacionais: dar por fim ao exílio de imaginários que foram espoliados durante o colonialismo

11h45    –    Debate

12h30     –   Almoço livre

14h30   –     Saída do autocarro a partir da Casa de Camilo

15h00     –   VISITA 3 : Museu da Guerra Colonial

16h30   –     Regresso do autocarro à Casa de Camilo

17h00   – Sessão de Encerramento dos Encontros

ICOM Portugal e Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda visitam Museus do Alentejo

Publicado por em Set 19, 2020 em Destaques, Notícias | 0 comentários

ICOM Portugal e Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda visitam Museus do Alentejo

Os momentos singulares que vivemos vieram acentuar as grandes dificuldades com que lutam diariamente os museus e os seus profissionais. A direção do ICOM Portugal acompanha e procura dar voz a estes problemas, por todos os meios que tem ao seu alcance. Assim, temos vindo a informar e a manter um diálogo ativo com os vários grupos parlamentares. No Dia Internacional do Museus tivemos oportunidade de dar a conhecer a deputados do PSD, as dificuldades sentidas em vários museus de Lisboa, no momento da reabertura ao público.

A 3 de Setembro último correspondemos ao interesse manifestado pela deputada Alexandra Vieira do Bloco de Esquerda, promovendo visitas a Mértola, Beja e Évora.

Em Mértola fomos recebidas pela vereadora da Cultura, Rosinda Pimenta, pelo diretor do Campo Arqueológico, Cláudio Torres, e pela coordenadora, Lígia Rafael. A conversa e visitas realizadas confirmaram o impacto positivo a vários níveis que este exemplo, tão bem conhecido e reconhecido por todos, trouxe para um território longínquo e despovoado. Contudo, mesmo aí, sente-se a falta de recursos humanos, designadamente de quadros técnicos especializados.

Visita ao campo Arqueológico de Mértola

Torna-se imperativo quer a implementação efetiva da Lei-quadro dos Museus, quer a realização de ações concretas tendo em vista a coesão museológica nacional, quer o revigorar da Rede Portuguesa de Museus.

Em Beja, no Museu Regional, também designado por Museu Rainha D. Leonor, a preocupação expressa pelos técnicos Deolinda Tavares e Francisco Paixão, evoca as décadas de dificuldades que conduziram aquele museu secular ao estado de extrema degradação, de que só agora começa a recuperar. A anunciada extinção das direções regionais de Cultura, atual tutela do museu, e sua absorção pelas Comissões de Coordenação Regionais, sem que estejam a ser acauteladas competências e circunstâncias específicas, preocupa todos os que desejam que este e outros museus regionais tenham condições para cumprir a sua missão.

Visita ao Museu Rainha D. Leonor

O Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, tem estado sob os holofotes pelas piores razões: a passagem a museu nacional, sob tutela direta da DGPC, traduziu-se no acentuar da falta total de recursos humanos e técnicos. O encerramento um fim de semana por mês durante o verão, é um dos exemplos do calvário deste museu, e que parece não ter fim à vista.

Visita ao Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo

A deputada Alexandra Vieira tomou conhecimento das situações e preocupações das equipas. Acreditamos que estes contactos diretos são a melhor forma de dar voz aos nossos colegas e procuraremos continuar a promovê-los, com a ajuda dos que entendem a importância de conhecer as situações na 1ª pessoa.

O nosso agradecimento público aos deputados que têm vindo acompanhar o ICOM no conhecimento da realidade museológica portuguesa.