Notícias

Lançamento de livro de Emília Ferreira da Coleção Estudos de Museus – DGPC

Publicado por em Nov 15, 2017 em Destaques, Notícias | 0 comentários

Lançamento de livro de Emília Ferreira da Coleção Estudos de Museus – DGPC

No âmbito do programa editorial da DGPC, em parceria com a editora Caleidoscópio, a Coleção Estudos de Museus alarga-se à publicação do seu oitavo volume. O lançamento do livro de Emília Ferreira, Lisboa em Festa: a Exposição Retrospetiva de Arte Ornamental Portuguesa e Espanhola, 1882. Antecedentes de um Museu, a ter lugar no Museu Nacional de Arte Antiga no próximo dia 21 de novembro, às 18.30h.

A 12 de janeiro de 1882, o Palácio Alvor abriu portas à Exposição Retrospetiva de Arte Ornamental Portuguesa e Espanhola. Primeira exposição em Portugal a contar com iluminação elétrica, catálogo com ilustrações e um volume de fototipias, da autoria de Carlos Relvas, envolveu a cidade e o país num momento de entusiasmo cultural. Quando encerrou, em junho desse ano, a exposição tinha sido vista por dezenas de milhares de visitantes, transformando-se no primeiro sucesso massivo de público em Portugal. Dois anos depois, o Palácio Alvor abriria as suas portas ao Museu Nacional de Bellas Artes e Archeologia, atual Museu Nacional de Arte Antiga. É a história desse notável acontecimento cultural do século XIX no nosso país que este livro conta.

O ICOM Portugal congratula a DGPC uma vez mais pela continuidade desta coleção que possibilita um conhecimento mais aprofundado da investigação científica na área da Museologia.

Elsa Rodrigues eleita Presidente do DEHMIST

Publicado por em Nov 10, 2017 em Destaques, Notícias | 0 comentários

Elsa Rodrigues eleita Presidente do DEHMIST

A nossa colega Elsa Rodrigues foi eleita presidente do DEHMIST, Comité Internacional do ICOM para Casas-Museu Históricas, durante a última assembleia geral daquele comité.

Elsa Rodrigues é Licenciada em História, responsável pelo Museu João de Deus, em Lisboa. Membro do DEMHIST desde 2005, cumpriu 2 mandatos como secretária-tesoureira. Directamente envolvida na organização das actividades do grupo nacional do DEMHIST, designadamente as conferências anuais, participa regularmente nas reuniões nacionais e internacionais do ICOM e do DEMHIST.

Elsa Rodrigues com Mário Antas e Maria de Jesus Monge após a sua eleição

O ICOM Portugal congratula-se por ter mais um membro em destaque nos comités internacionais do ICOM e relembra a todos os membros a importância da nossa participação no trabalho dos comités internacionais da organização.

II Conferência do Grupo de Trabalho Sistemas de informação em Museus da BAD – Resumo

Publicado por em Nov 10, 2017 em Destaques, Notícias | 0 comentários

II Conferência do Grupo de Trabalho Sistemas de informação em Museus da BAD – Resumo

O grupo de trabalho sobre Sistemas de informação em Museus da BAD organizou, no passado dia 6, a sua conferência anual na Universidade de Évora. O mote da conferência deste ano foi “A gestão de informação nos museus: uma visão integradora?” e para discutir este tema pertinente e actual, estiveram em Évora um conjunto de colegas a apresentar os seus contributos e reflexões que permitiram uma reflexão e debate interessantes no final da sessão. Divulgamos, em seguida, um primeiro resumo da conferência feito pelos seus organizadores.

Aspecto geral do auditório

Realizou-se no dia 6 de novembro de 2017 a II Conferência do Grupo de Trabalho Sistemas de Informação em Museus, no Colégio Espírito Santo, Universidade de Évora, que contou com cerca de 70 participantes.

 

A primeira sessão da manhã contou com as interessantes comunicações de Marta Lourenço, Graça Filipe e Lígia Rafael.

 

Na comunicação da Marta Lourenço intitulada Arquivos são Coleções e Coleções são Arquivos, importa salientar a importância de toda a documentação de contexto do Património da Ciência, pois só assim se constrói significado, qualidade e visibilidade dos acervos múltiplos da comunidade científica. Deste modo é possível organizar um lugar coletivo da vida e da natureza, e o tão importante entendimento de como sabemos.

 

Graça Filipe na sua apresentação intitulada Museus e Património em Portugal: reconhecer a importância e as especificidades dos inventários e da documentação, (re)pensar prospectivamente os sistemas de informação, reflete sobre o entendimento dos museus como processos sociais e públicos onde se conta a história através dos objetos, mas para os museus desempenharem a sua função social, importa existirem claras e objetivas políticas públicas e boas práticas profissionais. Assim como, importa cruzar políticas dos museus, arquivos e bibliotecas com políticas de educação.

 

A gestão de informação no Museu de Mértola: como ultrapassar a barreira do “ponto zero”? foi o título da comunicação de Lígia Rafael. Teve a coragem de apresentar a realidade crua de uma boa parte dos museus, – o ponto zero – marcado por uma ausência de estratégia e de profissionais, para levarem a cabo a gestão da informação nos museus portugueses. Contudo apontou um programa para o Museu de Mértola para sair deste ponto zero, com aqueles que considera serem “os passos essenciais para que um sistema de gestão da informação seja implementado no Museu de Mértola”.

 

Após estas três primeiras apresentações, destacou-se o trabalho desenvolvido pelo Grupo de Trabalho Sistemas de Informação em Museus (GT-SIM) da BAD, relativamente aos trabalhos de tradução desenvolvidos no âmbito da normalização de informação por Cristina Cortês e Alexandre Matos, à elaboração de um guia de boas práticas com ferramentas e recursos relacionados com a organização e representação do conhecimento nas instituições de memória, pela Natália Jorge.

 

A sessão da tarde iniciou-se com a apresentação dos resultados do Diagnóstico aos Sistemas de Informação nos Museus Portugueses, trabalho coordenado por Jorge Santos, apresentando uma perspetiva de integração que deu o mote para a Mesa Redonda que se realizou a seguir com a participação de Maria de Jesus Monge (Museu Biblioteca da Casa de Bragança), Marco Lopes (Museu Municipal de Faro), Francisco Amado Rodrigues (Biblioteca e Coleção Visitável da Academia Militar), Cármen Almeida (Divisão de Cultura e Património da Câmara Municipal de Évora), Maria Manuel Velasquez Ribeiro (Museu de Angra do Heroísmo) e Virgílio Hipólito Correia (Museu Monográfico e Ruínas de Conimbriga).

 

Para além dos animados debates que ocorreram após a apresentação das três primeiras comunicações e da Mesa Redonda, os participantes tiveram ainda a oportunidade de conhecer o Museu de Évora, com uma visita guiada pelo seu diretor, António Alegria.

 

Mais informações sobre a conferência e sobre o trabalho do GT-SIM podem ser encontrados aqui.

Workshop ICAMT 2018 em Lisboa

Publicado por em Out 30, 2017 em Destaques, Notícias | 0 comentários

Workshop ICAMT 2018 em Lisboa

O Workshop do ICAMT Lisboa 2018 relaciona a Arquitetura com a Museologia olhando especificamente para as técnicas museográficas, os museus comunitários e a energia e sustentabilidade. Destina-se a estudantes e profissionais de arquitetura, engenharia, museologia, artes plásticas, curadoria, design e áreas afins.

Serão analisadas questões metodológicas, conceptuais e técnicas referentes ao papel da arquitetura na implementação de projetos museológicos, incidindo nas técnicas museográficas contemporâneas, no papel dos museus comunitários na sociedade do século XXI e na necessidade do recurso às energias renováveis como contributo para a sustentabilidade dos museus.

O Workshop visa trazer à discussão estes três eixos temáticos contribuindo para enriquecer e consolidar as boas práticas museais, a valorização profissional e a relação entre os museus e a sociedade

Os três eixos propostos são os seguintes:

1. Técnicas museográficas – papel da arquitetura:

– Em tempos de crise financeira e baixos orçamentos nos museus, de que forma a arquitetura pode produzir soluções museográficas simultaneamente de baixo custo e eficazes na comunicação;

– Utilização inteligente das tecnologias da informação nas técnicas museográficas.

2. Papel dos museus comunitários no seculo XXI:

– Os Museus comunitários na sociedade digital do século XXI;

– Os museus comunitários e a atual sociedade de migrações massivas;

– A responsabilidade, inovação e criatividade da arquitetura nos pequenos museus;

3. Energias renováveis e sustentabilidade dos museus:

-Face às energias renováveis disponíveis, quais as melhores soluções para a sustentabilidade nas suas diversas vertentes, aplicadas aos museus;

– Inclusão da domótica nos museus.

O workshop do ICAMT será realizado na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Lisboa, nos dias 29, 30 e 31 de Janeiro de 2018.

Para mais informações contactar a organização através do e-mail icamtlisboa2018@gmail.com ou consultar o site do evento em www.icamtlisboa2018.eu.

O ICAMT é o comité internacional do ICOM para a Arquitectura e Técnicas em Museus.

MIDAS – publicado o 8º número da revista

Publicado por em Out 18, 2017 em Destaques, Notícias | 0 comentários

MIDAS – publicado o 8º número da revista

O 8.º número da revista MIDAS é dedicado ao tema «Objetos e Museus: Biografias, Narrativas e Vínculos Identitários» e foi coordenado por Alice Semedo (Universidade do Porto), Olaia Fontal (Universidade de Valladolid) e Alex Ibanez (Universidade do País Basco).

Segundo os coordenadores, «este número faz parte do esforço atual para reunir diferentes perspetivas (museológica, curatorial, teórica) sobre o lugar dos objetos em museus, a fim de mapear criticamente este domínio. Em suma, trata-se de refletir e apresentar exemplos relevantes que permitam recuperar a teorização sobre objetos em museus como portadores não apenas de significados sociais, mas também individuais, permitindo que os processos de patrimonialização e identização sejam também explorados a partir do ponto de vista da educação.» O número apresenta 11 artigos, uma notação e três recensões críticas de livros.

Está disponível em: https://midas.revues.org

A MIDAS é uma revista científica, editada em suporte digital, de acesso aberto e com revisão por pares. Pretende dar a conhecer e promover os museus enquanto objetos de investigação científica e a Museologia enquanto área do conhecimento que congrega diferentes grupos disciplinares. Foi fundada por Alice Semedo (Universidade do Porto), Paulo Simões Rodrigues (Universidade de Évora), Pedro Casaleiro (Museu de Ciência da Universidade de Coimbra), Raquel Henriques da Silva (Universidade Nova de Lisboa) e Ana Carvalho (Universidade de Évora). Publica desde 2013.