Notícias

GESTÃO DE COLEÇÕES – Conferência digital em torno das Recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro

Publicado por em Jan 27, 2021 em Destaques, Notícias | 0 comentários

GESTÃO DE COLEÇÕES – Conferência digital em torno das Recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro

Em 2021, o ICOM Portugal promove 5 debates online em torno das recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro (disponíveis para consulta aqui: https://bit.ly/2K3wLNm).

O segundo, dedicado à GESTÃO DE COLEÇÕES, no dia 20 de janeiro, teve como oradores convidados:

INÊS FERRO

Mestra em Arte, Património e Restauro pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (2001) onde se licenciou em História (1980). Tem uma Pós-Graduação em Museologia (1984) e o Diploma Europeu de Gestão de Projetos Culturais pela Fondation Marcel Hicter – Conselho da Europa (1994). Foi Adjunta da Direção de Exposições da Europália Portugal-Bélgica (1991). Conservadora (1984) e Diretora do Palácio Nacional de Queluz (1992-1998) e posteriormente Diretora do Palácio Nacional de Sintra (1999-2012), tendo acumulado a direção dos dois Palácios de 2012 a 2019 aquando da sua passagem para a gestão da Parques de Sintra Monte da Lua. É desde 2019 conservadora no Palácio Nacional da Ajuda. Profissionalmente tem estado ligada à conservação, interpretação e gestão do património. Foi comissária, coordenadora e colaboradora de diversas exposições, publicações e encontros nas áreas da museologia, história e história da arte.

MARTA LOURENÇO

Investigadora do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa desde 2006, tendo assumido o cargo de diretora em 2019. Possui formação de base em Física (Universidade de Lisboa, 1992), Mestrado em Museologia (Universidade Nova de Lisboa, 2000) e Doutoramento em Museologia e História da Técnica (Conservatoire National des Arts et Métiers, Paris, 2005). Tem extensa obra publicada nos domínios do património cultural das universidades, património científico e história dos museus e coleções científicas, que são igualmente os seus domínios preferenciais de orientação de alunos e de projetos de investigação nacionais e internacionais. Coordenou o levantamento do património cultural da Universidade de Lisboa em 2010-2011 e em 2015-2016, ambos publicados. É coordenadora nacional do PRISC (Portuguese Research Infrastructure of Scientific Collections), integrado no roteiro português de infraestruturas estratégicas de investigação. É atualmente Presidente do Comité Internacional do ICOM para os Museus e Coleções Universitárias (UMAC).

ISABEL FERNANDES

Licenciou-se em História, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (1981). Possui o Curso de Conservador de Museu (Lisboa, 1983). Doutorou-se em Idade Contemporânea no Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho (2013). Foi Conservadora do Museu de Olaria entre 1983 e 1995; diretora do Museu de Alberto Sampaio, entre 1999 e 2010; técnica-superior no Museu de Alberto Sampaio / Paço dos Duques, entre 2012 e 2014. É desde 2014 Diretora do Museu de Alberto Sampaio, Paço dos Duques de Bragança e Castelo de Guimarães. Tem-se dedicado ao estudo da cerâmica portuguesa, procurando também dar o seu contributo para a reflexão sobre temáticas relacionadas com a gastronomia histórica, os Museus e o estudo e inventariação do património móvel. Tem escrito principalmente sobre cerâmica portuguesa, mas também sobre gastronomia histórica e algumas temáticas relacionadas com a museologia. Integrou a equipa do Grupo de Projeto Museus no Futuro e é Vice-Presidente do ICOM Portugal.

Pormenor das reservas do Museu Nacional dos Coches (foto: DGPC / MC)

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL – Conferência digital em torno das Recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro

Publicado por em Jan 22, 2021 em Destaques, Notícias | 0 comentários

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL – Conferência digital em torno das Recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro

Em 2021, o ICOM Portugal promove 5 debates online em torno das recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro (disponíveis para consulta aqui: https://bit.ly/2K3wLNm).

O segundo, dedicado à TRANSFORMAÇÃO DIGITAL, no dia 20 de janeiro, teve como oradores convidados:

ANA CARVALHO

Investigadora de pós-doutoramento no Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS) da Universidade de Évora e membro do Grupo de Projeto Museus no Futuro (2019-2020). Doutoramento em História e Filosofia da Ciência, especialização Museologia e mestrado em Museologia (Universidade de Évora). Colaborou como investigadora principal no projeto internacional Mu.SA – Museum Sector Alliance (2016-2020) sobre os desafios da transformação digital para os museus. É uma das fundadoras da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares. A sua investigação tem-se centrado em temas do património, da história da museologia e da museologia contemporânea.

HELENA BARRANHA

Doutoramento em Arquitetura (Faculdade de Arquitetura, Universidade do Porto, 2008) e Mestrado em Gestão do Património Cultural (Universidade do Algarve, 2001). É Professora Auxiliar no Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa e Investigadora no Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa, onde integra o Grupo de Museum Studies e coordena o cluster de Arte, Museus e Culturas Digitais. Foi Diretora do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, em Lisboa, de 2009 a 2012, e Coordenadora do projecto unplace: um museu sem lugar, entre 2014 e 2015. As suas atividades de investigação centram-se atualmente no património cultural, na arquitetura de museus de arte contemporânea e nas culturas digitais, temas sobre os quais tem realizado várias conferências e publicações, tanto em Portugal como noutros países. É membro da Associação Acesso Cultura, do ICOM-Portugal e da Europeana Network. Association.

ALEXANDRE MATOS

Doutorado em Museologia pela Universidade do Porto. É Diretor do Departamento de Investigação e Formação da Sistemas do Futuro e Professor Afiliado do Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É investigador do CITCEM, Editor no CIDOC e foi gestor do projeto Mu.SA em representação do ICOM Portugal. É membro do projeto SPECTRUM PT e responsável em Portugal pela divulgação e atualização da norma SPECTRUM.

TRANSFORMAÇÃO, TRANSIÇÃO OU INTEGRAÇÃO DIGITAL? Notas e reflexões de Alexandre Matos, no blogue Museion.pt, a propósito do debate.

Voltamos a fechar…

Publicado por em Jan 18, 2021 em Destaques, Notícias | 0 comentários

Voltamos a fechar…

Após alguns meses de abertura condicionada ao cumprimento de exigentes normas de controlo de acesso, os museus estão de novo separados  do contacto direto com os visitantes.

O ano de 2020 não deixa boa memória. Durante o anterior confinamento, que aconteceu sem preparação prévia, os Museus procuraram estar presentes / fazer-se presentes através dos recursos digitais. Agora, mais preparados, continuarão seguramente esta aposta na comunicação à distância. Já percebemos que vai ser longo o caminho e que constrangimentos de todo o tipo: humanos, técnicos, financeiros… se irão acentuar.

Infelizmente, sem surpresa, os Museus partilham do desespero do tecido cultural perante o avolumar da falta de recursos, de perspetivas, de respostas. Sabemos que não é verdadeira a perceção pública de que os museus são uma área protegida desta voragem, vemos colegas com vínculos precários, prestadores de serviços, colaboradores em projetos, desesperarem à espera de tempos melhores.

O ICOM vai continuar a trabalhar com os instrumentos de que dispõe: conferências digitais, reuniões online, preparação para a reabertura dos Museus, que esperamos surja breve.

Chamamos assim a atenção para o recente anúncio da Ministra da Cultura relativo ao PROMUSEUS. Em 2019, o curto período para candidaturas resultou em propostas de valor inferior ao pacote financeiro disponível, pelo que sugerimos a todos que comecem desde já a pensar nas suas candidaturas.

Em 2021, ICOM Portugal não fará a habitual jornada de Primavera em março, mas em data posterior, a qual oportunamente anunciaremos. A Assembleia Geral será anunciada brevemente.

O tema do Dia Internacional dos Museus – O Futuro dos Museus: Recuperar e Reimaginar convida-nos a aproveitar este período de fechamento para pensar o futuro. Agora, como sempre, os museus têm de interpretar os sinais que se vão construindo à sua volta e promover a construção de uma sociedade que melhor sirva o ser humano; amanhã, aprendendo com o que fica para trás, há que construir mais e melhor.

Sempre os Museus se souberam adaptar às circunstâncias de cada época, aos desafios com que se foram deparando, e, estamos certos que este desafio que a Pandemia nos trouxe, vai ser vencido. Cuide-se, que nós, convosco, cuidaremos dos Museus!

A Direção da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM

17 de Janeiro 2021

REDES E PARCERIAS – Conferência digital em torno das Recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro

Publicado por em Jan 17, 2021 em Destaques, Notícias | 0 comentários

REDES E PARCERIAS – Conferência digital em torno das Recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro

Em 2021, o ICOM Portugal promove 5 debates online em torno das recomendações do Grupo de Projeto Museus no Futuro (disponíveis para consulta aqui: https://bit.ly/2K3wLNm).

O primeiro, dedicado às REDES E PARCERIAS, no dia 13 de janeiro, teve como oradores convidados:

CLARA CAMACHO

Da Direção-geral do Património Cultural e Coordenadora do Grupo de Projeto Museus no Futuro. Dirigiu o Museu Municipal de Vila Franca de Xira (1985-2000), foi Coordenadora da Rede Portuguesa de Museus (2000-2005) e Subdiretora do Instituto Português de Museus e do Instituto dos Museus e da Conservação (2005-2009). Docente de disciplinas de Museologia em cursos de pós-graduação e mestrado de várias universidades, autora de artigos sobre os museus portugueses e temas da Museologia contemporânea, foi diretora da revista Museologia.pt (2007-2011)

MARIANA JACOB

Arqueóloga e museóloga. Exerce funções na Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão (desde 2016) e integra, atualmente, a sua coordenação ao nível da orientação científica. Participou em diferentes projetos como museóloga, nomeadamente no Museu Militar do Porto (2005 – 2011), na criação do programa museológico do Museu do Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto (2011 – 2012), no Museu Futebol Clube do Porto (2012 – 2014) e na Fundação Cupertino de Miranda – Centro Português do Surrealismo (2015-2016). Agraciada com o Prémio APOM 2014 na categoria “Prémio Investigação” e condecorada com a Medalha de D. Afonso Henriques – Mérito do Exército.

DÁLIA PAULO

Museóloga e Gestora Cultural. Dirigiu o Museu Municipal de Loulé e foi Diretora de Departamento de Desenvolvimento Humano e Coesão e Chefe de Divisão de Cultura e Património da Câmara Municipal de Loulé. Foi Diretora Regional de Cultura do Algarve de 2009 a 2013. Foi Diretora do Museu Municipal de Faro (2002 a 2009) e Diretora da Revista MUSEAL de 2006 a 2009. Foi uma das ideólogas e fundadoras da Rede de Museus do Algarve (2007) e da Rede AZUL, de Teatros do Algarve (2016). Presidente da Direção da Acesso Cultura no triénio 2016/2019. Membro da Direção da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM no triénio 2014/2017.

Pormenor do Painel dos Pescadores. MNAA / DGPC

Conferências Digitais sobre as recomendações para os Museus no Futuro – 2021

Publicado por em Dez 7, 2020 em Destaques, Notícias | 1 comentário

Conferências Digitais sobre as recomendações para os Museus no Futuro –  2021

O Grupo de Projeto Museus no Futuro (GPMF), criado pela Resolução de Conselho de Ministros nº 35/2019, de 18/02, e nomeado por Despacho da Ministra da Cultura, de 3/05/2019, desenvolveu, ao longo de um ano, um trabalho de análise, diagnóstico e elaboração de propostas para os museus e monumentos nacionais no futuro que resultou num relatório final, tornado público em novembro de 2020.

Este trabalho com incidência nos Museus, Palácios e Monumentos dependentes da Direção-Geral do Património Cultural e das Direções Regionais de Cultura, visa a apresentação de recomendações e de propostas para estas entidades museológicas e patrimoniais, a curto prazo, mas também tendo o horizonte temporal dos próximos 10 anos.

As recomendações foram agregadas em cinco eixos temáticos seminais que interessam, todavia, à gestão e práticas de todo o tecido museológico nacional: Gestão de Museus, Redes e Parcerias, Transformação Digital, Gestão de Coleções, Públicos e Mediação.

A Comissão Nacional do ICOM, que acompanhou de perto os trabalhos do GPMF, promove, on-line (ZOOM) nos próximos meses de janeiro e fevereiro de 2021, 5 sessões de debate em torno dos 5 eixos temáticos identificados pelo GPMF. Cada sessão terá como convidado um dos membros do GPMF, um orador convidado especialista na matéria, e um moderador, abrindo-se a discussão a todos os participantes inscritos.

13 JAN 2021 – 18h00 – REDES E PARCERIAS

Clara Camacho │ Mariana Jacob │Dália Paulo

20 JAN 2021 – 18h00 – TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Ana Carvalho │ Helena Barranha │ Alexandre Matos

27 JAN 2021 – 18h00 – GESTÃO DE COLEÇÕES

Inês Ferro │ Marta Lourenço │ Isabel Fernandes

3 FEV 2021 – 18h00 – PÚBLICOS E MEDIAÇÃO

Sara Barriga │ Inês Câmara │ David Felismino

10 FEV 2021 – 18h00 – GESTÃO DE MUSEUS, PALÁCIOS E MONUMENTOS

José Varejão │ Manuel Bairrão Oleiro │ Maria de Jesus Monge

Inscrições encerradas

As Conferências terão difusão em direto no Facebook do ICOM Portugal e serão, posteriormente, disponibilizadas no YouTube

Foto: MUHNAC – project by P06 studio © João Morgado