Versão preliminar do Relatório Final do Grupo de Projecto Museus no Futuro

Publicado por em Jul 9, 2020 em Destaques, Notícias

Versão preliminar do Relatório Final do Grupo de Projecto Museus no Futuro

Criado pela Resolução de Conselho de Ministros nº 35/2019, de 18 de fevereiro, e nomeado por Despacho da Ministra da Cultura, de 3 de maio, do ano transato, o Grupo de Projeto Museus no Futuro desenvolveu ao longo de um ano um trabalho de análise, diagnóstico e elaboração de propostas que correspondessem ao mandato de que foi incumbido.

Com incidência nos Museus, Palácios e Monumentos dependentes da Direção-Geral do Património Cultural e das Direções Regionais de Cultura, o projeto visava a apresentação de recomendações e de propostas que pudessem ser vertidas em medidas de política pública para estas entidades museológicas e patrimoniais, tanto no curto prazo como no horizonte temporal dos próximos 10 anos.

Divulgados a 7 de julho deste ano, encontram-se em discussão pública (até ao próximo dia 31) a versão preliminar do Relatório Final e o Sumário Executivo do Grupo de Projeto Museus no Futuro.

A versão final do Relatório estará concluída no próximo mês de outubro.

Um Comentário

  1. Exmos. Senhores,

    No seguimento da versão preliminar do Relatório Final do Grupo de Projecto Museus no Futuro, publicado por ICOM Portugal a 9 de Julho de 2020, a APECATE vem por este meio apresentar os nossos comentários.

    Em primeiro lugar a APECATE congratula pela iniciativa e pelo excelente trabalho, assim como apoia a vossa proposta na criação de um Instituto e mais autonomia local, no entanto gostaríamos de reforçar os seguintes pontos:
    – Turismo como gerador da principal receita;
    – Parcerias estratégicas e maior intervenção das organizações sectoriais (cultura, turismo, empresas, entre outros) nos espaços;
    – Gestão partilhada em locais onde possa gerar mais equilíbrio, rentabilidade e mais eficácia;
    – Abrir espaços à cultura viva e animação, sem degradar ou retirar a dignidade de cada equipamento.

    Por fim, a APECATE considera que se deve continuar a trabalhar para a rentabilização comercial dos espaços, seja com lojas internas ou arrendamento comercial.

    Com os nossos cumprimentos,

    APECATE

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.